Maus tratos a animais podem resultar em multa e apreensão. Denuncie

Deixar um animal sem abrigo adequado, privá-lo de alimento e água, feri-lo e abandoná-lo são alguns dos comportamentos descritos pela Lei Municipal 13.908/2011 como maus tratos contra animais. Esse tipo de situação é fiscalizada pela Rede de Proteção Animal e pode ser denunciada pela população pela Central 156 da Prefeitura.

Combater a crueldade contra os animais é um dos objetivos do Abril Laranja, instituído pela Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade a Animais, difundido e divulgado no Brasil por organizações e protetores da causa animal.

De acordo com a legislação vigente em Curitiba, atos que coloquem em risco o bem-estar e a vida dos animais da fauna da cidade – domésticos ou não – podem ser punidos de diversas formas, desde advertências por escrito até multas e apreensão dos animais. A partir do registro na Central 156, são deslocados fiscais da Rede de Proteção Animal para averiguação da denúncia.

A chefe da Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba, Vivien Midori Morikawa, reforça que a participação da população é importante para o trabalho e que as denúncias devem ser feitas com responsabilidade. “Impedir uma situação de maus tratos é urgente e deve ser prioritário, mas é importante se certificar de que realmente existe uma irregularidade”, alerta.

Após o recebimento do protocolo, a fiscalização se desloca até o endereço informado na denúncia. Comprovada a infração administrativa ambiental, são aplicadas as sanções previstas no art. 4º da lei municipal 13.908/2011, para isso, são necessários alguns dados da pessoa infratora (nome, RG, CPF, endereço).

O infrator deve ser notificado pessoalmente. No ano passado, a Rede de Proteção Animal atendeu a cerca de 3,5 mil denúncias de maus tratos e comércio irregular de animais.


– Guarda responsável

Para ser tutor de um animal de estimação é preciso tomar alguns cuidados e adotar comportamentos condizentes com a Guarda Responsável, de acordo com a Rede. Confira alguns deles:


– Alimentação e hidratação

Forneça alimentos apropriados e com a frequência necessária, de acordo com a espécie e a idade do animal. Mantenha sempre a água limpa e fresca à disposição e não se esqueça de recolher os restos de alimento do comedouro.


– Higiene e limpeza

O cão deve ter abrigo confortável, protegido do sol, da chuva e do vento. O banho é recomendado uma vez por mês. Os felinos não precisam tomar banho frequentemente. Todo responsável deve recolher as fezes de seu animal nas ruas, nas calçadas e nos parques. É uma atitude de cidadania e obrigatória por lei.


– Saúde

Ao desmamar, o animal deve visitar o médico veterinário para desverminar e receber as vacinas. Filhotes devem ser vacinados com 2, 3 e 4 meses de idade, e os adultos anualmente, com vacina contra a raiva e doenças próprias da espécie.


– Passeio

Utilize sempre coleira e guia. É segurança para o animal e para as pessoas. Se o animal for bravo, utilize também a focinheira e evite agressões.


– Castração

O animal castrado vive mais e melhor, além de melhorar o comportamento.


– Identificação

O microchip é um método seguro de identificação definitiva no seu animal. Tem aplicação é simples e não precisa de anestesia. Por ser inviolável, ele garante a identificação do seu amigo caso ele se perca ou seja roubado.

Extraído de Agência de Notícias da Prefeitura de Curitiba

Deixe uma resposta

Top

Solicite uma cotação

Confira nosso diferencial de preços de itens importados e certificados.